Início > Procedimentos > Reversão da vasectomia

Reversão da vasectomia


É o procedimento realizado para tornar o paciente fértil após ter feito a vasectomia. Existem 2 técnicas, que podem ser empregadas e ambas são realizadas com uso de microscopia cirúrgica utilizando fios extremamente finos, da espessura de uma linha digital, vaso-vasostomia e vaso-epididimostomia.

A primeira é a anastomose do ducto deferente com ducto deferente após secção da obstrução e a segunda é a anastomose do ducto deferente com o epidídimo. A escolha da técnica é feita durante a cirurgia, dependo dos achados intra-operatórios. Logo que se secciona o ponto obstruído, a secreção do coto do lado do testículo é examinada ao microscópio para verificar se há espermatozóides ou não. Se tiver procede-se com a vaso-vasostomia, caso contrário, realiza-se a vaso-epididimostomia para ultrapassar o ponto obstruído.


Disponível em

Belo Horizonte

(31) 3292.5299

Juiz de Fora

(32) 3216.5092

Pouso Alegre

(35) 3422.9302

Entre em Contato

Fale Conosco
Agende Consulta
Etapas Preparo Pós Procedimento Dúvidas Frequentes
Procedimento realizado em regime de hospital-dia, ou seja, alta no mesmo dia da cirurgia, utilizando microscópio cirúrgico com anestesia geral . A duração da cirurgia depende do que foi encontrado durante o procedimento.
 
  1. O ducto deferente é secionado parcialmente e colhida a secreção do lado do testículo para identificar ao microscópio presença ou ausência de espermatozóides.
  2. Caso haja espermatozóides procede-se com a vaso-vasostomia e caso não se identifique gametas, a técnica utilizada e a vaso-epididimostomia. O procedimento é feito bilateralmente.

O tempo de recuperação para retorno ao trabalho gira em torno de 5 dias. Apos 1 mês, é feito o primeiro espermograma que deverá ser repetido a cada 2 meses para avaliar a evolução da cicatrização da anastomose. É de fundamental importância essa continuidade pós-operatória, pois o procedimento pode ser perdido devido a um estreitamento da anastomose, o que pode ser evitado caso possamos detectá-lo a tempo e impedir através de remédios. 


Não existe tempo máximo para realização da reversão após a vasectomia. O que existe é a mudança da técnica. A vaso-vasostomia é mais provável de ser utilizada em pacientes que tenham feito a vasectomia há menos de 15 anos, enquanto a vaso-epididimostomia é mais provável após os 15 anos de vasectomia.

Todavia, a técnica a ser utilizada é determinada durante a cirurgia, com a análise da presença ou não de espermatozóides da secreção do coto testicular do ducto deferente.

Curta a nossa página

Acompanhe as novidades na página do Facebook

Veja nosso vídeo Institucional

Conheça a PRÓ-CRIAR

Belo Horizonte
(31) 3292-5299 / (31) 2533-3800
Juiz de Fora
(32) 3216-5092
Pouso Alegre
(35) 3422-9302
Desenvolvido por ACESSOWEB DESIGN