Início > Exames > Histeroscopia Diagnóstica

Histeroscopia Diagnóstica

Disponível em

Belo Horizonte

(31) 3292.5299

Juiz de Fora

(32) 3216.5092

Pouso Alegre

(35) 3422.9302

Entre em Contato

Fale Conosco
Agende Consulta
Trata-se de exame com o objetivo de visualizar o canal endocervical e a cavidade endometrial.Com o aprimoramento tecnológico e o melhor treinamento dos profissionais especializados em ginecologia endoscópica, este método tornou-se de escolha para diagnosticar alterações intrauterinas, como pólipos, miomas, sinéquias (aderências), capazes de ocasionarem disfunções uterinas, que levam a uma gama de sintomas e sinais, tais como cólicas, sangramentos fora do período menstrual, ausência de sangramento além de provocarem infertilidade.


Etapas Preparo Pós Procedimento Dúvidas Frequentes
Este exame é realizado no bloco cirúrgico. Em posição ginecológica, passa-se o espéculo (aparelho similar ao utilizado na coleta do “exame preventivo do colo uterino”) e faz-se a higienização da cavidade vaginal e do colo uterino com antisséptico.

Em seguida, aplica-se anestesia local sobre o colo uterino e mede-se e cavidade uterina. Introduz-se então, o aparelho de histeroscopia com uma óptica de diâmetro pequeno e que não demanda dilatação do colo do útero. Com um sistema de irrigação propiciado pelo aparelho, instila-se soro fisiológico na cavidade endometrial para possibilitar a dilatação do útero e visualização de seu interior, permitindo-se a documentação de toda anatomia do canal cervical, do istmo, do corpo e fundo uterinos, incluindo-se a visão dos orifícios de implantação das tubas uterinas (óstios tubários).


  1. As pacientes são orientadas a usarem antibiótico no dia anterior e analgésico uma hora antes da realização do procedimento.
  2. O jejum não é necessário, mas recomenda-se alimentação mais leve, como frutas e verduras e líquidos sem resíduos.
  3. Esse exame, por suas características, se faz com anestesia local. Como qualquer outro exame de caráter invasivo, ainda que minimamente, não é isento de risco. Apesar de extremamente raras, podem ocorrer perfuração uterina com sangramento aumentado e lesões de estruturas contíguas ao útero, como intestinos e bexiga, que demandem intervenção cirúrgica, caso ocorram.


Cólicas e sangramento discreto são comumente percebidos durante e após o exame.


Para este procedimento é necessária a internação?
Trata-se de procedimento de caráter ambulatorial e caso não ocorram intercorrências, a alta será efetuada logo após o procedimento.

Sentirei dor na realização do procedimento?
Trata-se de procedimento de baixo estímulo doloroso.  Quando necessário é realizada a administração de anestesia local.

Apesar de se tratar de procedimento de baixo estímulo doloroso, existe a possibilidade de realização sob sedação venosa?
Sim.  No caso de pacientes muito ansiosos ou que desejam dormir durante a realização do procedimento, existe a possibilidade da realização de sedação venosa sob cuidado do médico anestesiologista. Para isto deverá ser agendada consulta pré-anestesia anteriormente a data do procedimento para avaliação individual do paciente. 


Curta a nossa página

Acompanhe as novidades na página do Facebook

Veja nosso vídeo Institucional

Conheça a PRÓ-CRIAR

Belo Horizonte
(31) 3292-5299 / (31) 2533-3800
Juiz de Fora
(32) 3216-5092
Pouso Alegre
(35) 3422-9302
Desenvolvido por ACESSOWEB DESIGN